22.3.10

Odeio pegar busão.. vou de táxi querida.

Ai sabe, é tipo assim, eu até posso pegar ônibus, mas tem que ter ar condicionado, sem tarado te encoxando. Ontem fui com minhas amigas, naquele parque lindo, que dá bastante garoto lindo também. Só não suporto aquele velhos, jogando migalhas pros patos na beira do rio. Não suporto também aquele tipinho de gente que vai lá, que leva uma penca de filho pra passear, sei lá, essa gente deve vir dos extremos, das favelas, ah, sei lá. Falando nisso, essa maldita franjinha que fiz hoje, tá me encomodando, ai meu, fala sério. Falando em franjinha quando será que o Green Day vem pro Brasil de novo? Eu amo aqueles lindos, se bem que a franjinha do vocalista é a maior do que a do baixista, mas amo todos eles, eu daria a vida pra ficar com eles, se daria. O que não gostei ontem no parque foi aquela vadia, sim aquela vadia, que acha que é minha melhor amiga, falar que pegou o Miltinho na escola, mentirosa sem vergonha. Qualquer hora a máscara dela cai, aquela desgraçada, enquanto isso eu vou ficando, com os meninos que ela jamais vai ficar. Nossa! quem diria, o Rô fumando, não acredito?! É impossível isso meu, inacreditável sei lá.

Paty vai até a cozinha, e volta com uma taça de sorvete light na mão.

Ai voltei, que merda, a mamãe não comprou do sabor que eu gosto. Toda vez é isso, a mamãe sempre escolhe os sabores que o Hugo quer. Esse menino nunca vai sair das fraldas mesmo, só vive com esses colegas dele vagabundo. Falando nisso, ele anda estranho de um mês pra cá. Pede dinheiro toda hora pra mamãe, ligou ontem pro papai, que está em Nova York, só pra pedir um depósito. Sim, ele anda bem estranho. Só que mamãe é sonsa, não percebe nada, e eu também, to pouco me lixando pra esse moleque.
Ai não vou atender, é o Alan me ligando de novo, já falei que não quero ficar com ele, que insistência, que amolação. Na verdade quero ficar com o colega dele, que gato, uau!

Paty vai até o computador, ninguém está on line em sua lista de contatos.

Gente, o que aconteceu com minhas amigas, sumiram essas sirigaitas. Vou ligar pro Alan, quem sabe esse mané não sabe de algo legal, pra fazer hoje. Ai que dia é hoje heim, mamãe não me deu minha mesada ainda saco. Vou cobrar ela hoje, eu sei que se eu ligar pro celular dela, ela não atende mesmo. Tá vendo, caixa postal, ai saco, saco e saco! A sim, uma mensagem do Alan, deixa eu ler:

" Eu sei que você é metidinha e esnobe. Mas comigo não cola não. Só pedi a merda do seu telefone, por quê pensei que queria ficar comigo. Já que não quer, e está fazendo cú doce pra atender, então vai a merda, quero que você se foda. Até mais."

Paty coloca o edredom sobre sua cabeça, e começa a chorar desesperadamente.

Ai meu Deus, o que eu fiz, estraguei tudo. E agora, vou ficar queimada com os outros meninos do colégio. Bom pensando bem acho que não, é só colocar um decote mais atraente que eles nem ligam. Homem é que nem lata, uma chuta a outra cata. Falando nisso o Alan até que não era de se jogar fora, e agora.

- Alô Alan?
- Fala.
- Se magou comigo?
- Não, to acostumado com minas metidinhas que nem você.
- Desculpe, de verdade.
- Te desculpo sim, que tal me ver às 10 na sua rua, hoje à noite.
- Não posso, mamãe não deixa.
- Então deixa queto...
- Tudo bem vou ver o que posso fazer.
- Certo te espero lá heim.
- Tá bom, tchau gatinho.

Ai tá vendo, homem é tudo igual. Agora deixa eu me arrumar, que daqui a pouco tenho o curso Inglês pra ir. Ai que coisa, hoje vou devorar esse tal de Alan. Ah se vou.

Renato Vital é escritor.

2 comentários:

moyses cria da rua... disse...

hahhaha k$$%% o dialeto fico de patricinha memu a muleke zikaaaaaaaa....

DANILO. disse...

HAHAHAHAHA, muito massa hahahahha.
parabens tio.